quinta-feira, 28 de maio de 2009

Blogueiros devem corrigir erros de português dos leitores?

Falei do livro do jornalista e blogueiro Mauricio Stycer (sobre a História do jornal Lance) lá no blog do pc. Mauricio visitou o blog e deixou comentário. Fui ao blog do Mauricio e "pesquei" esse post interessante.

O blogueiro deveria corrigir o português dos leitores?
Final de 2007, se não me engano. A ESPN Brasil exibia o “Bate-bola - segunda edição”. O apresentador João Carlos Albuquerque informou que Kaká havia acabado de ser premiado com a Bola de Ouro, o tradicional prêmio concedido pela revista “France Football” ao melhor jogador do ano. O programa então mostrou uma entrevista gravada com o jogador, ao longo da qual Kaká falou da alegria de ter sido escolhido e informou: “Esse prêmio vai para a minha sala de TROFÉIS”.

A entrevista prosseguiu por mais alguns instantes até que a transmissão voltou para o estúdio. Albuquerque tomou a palavra e falou (cito de cabeça): “Esse é um programa assistido por muitos jovens. Então, temos também uma função educativa. O plural de palavras terminadas em ‘éu’ é sempre ‘éus’. Chapéus, troféus, réus e assim por diante”.

Sem citar Kaká e o seu atentado gramatical, Albuquerque deu uma lição magnífica, ao vivo – mostrando que um bom jornalista precisa ter cultura e jogo de cintura, além de consciência sobre o seu papel num país com tantas deficiências quanto o Brasil.

Nesta quarta-feira, mais uma vez, me lembrei dessa história. A Rede Globo havia começado a transmissão de Fluminense e Corinthians e o narrador Cleber Machado descrevia o clima festivo no Maracanã – lotado para a partida. A câmera deteve-se então numa menina, vestida com as cores do Fluminense, que exibia um cartaz com uma declaração de amor a Ronaldo. A última frase dizia: “Torço muito por você, MAIS não hoje”.

O que fazer? Situação complicada, reconheço. Devo dizer que também não corrijo os erros de português que, eventualmente, aparecem em comentários aqui no blog. Deveria? Penso muito neste assunto, mas ainda não cheguei a uma conclusão.

5 comentários:

Marcelo F. Carvalho disse...

Tremenda sinuca-de-bico, professor. Achei também que a ESPN marcou um golaço, tanto na omissão (daquele que cometeu o "erro") quanto na postura (em relação aos jovens e ao sério problema educacional brasileiro), mas a ESPN é a ESPN... Eu, admito, não saberia como agir.

Marcos Daniel Santi disse...

Eu acho válido, é uma troca do produtor/leitor - assim como o leitor pode também corrigir o produtor da notícia, eu acho válido.

No caso do meu blog, não corrijo, se eu entendo a mensagem que o cara quiz passar pra mim beleza.

São vários pontos que devem ser lembrados. O cara pode estar com uma puta pressa e quiz fazer um rápido comentário, ou entao nao quiz corrigir e mandou, ou pra ele essas coisas nao importam...

e vai indo

pc guimarães disse...

Complicado mesmo, Marcelo. Estou fora do Rio, numa lanhouse; depois voltamos a falar sobre o assunto. E vou dar um puxãozinho de orelha no nosso amigo Marcos Daniel: "quiz" com z?! Acontece. Cometo meus errinhos também. Eita português!

Marcos Santi disse...

kkkkkkkkk
Ae viu como que é professô

rsrs eu me enquadro no perfil dos que comentam e não voltam a ler o comentário para esses erros. Faz parte rs Desatenções do cotidiano.

Esqueci de complementar o meu comentário, essa chegou hoje em um comentário da minha namorada no meu blog: "Erro da edição: "a Cidade Universitária". Coloca uma crase nesse a." A edição foi dela mas o importante é que a mensagem foi passada.

Num outro texto sobre cristovam buarque eu havia dito que ele foi governador de brasília, enquanto na verdade é Distrito Federal. Só depois de um comentário foi que eu arrumei e, incRusive rs, o erro da troca de Brasília por Distrito Federal, passou pela edição do Observatório da Imprensa, quando enviei o texto para eles e após edição veicularam.

Faz parte rsr

Pety Nunes disse...

o MAIS trocado pelo mas dói aos ouvidos e aos olhos