terça-feira, 31 de agosto de 2010

É nisso que dá repórter metido a entender de tudo

Álbum JotaBeniano, o Blog do pessoal do verdadeiro JB

Já que estou falando bastante (e merecidamente) do Jornal do Brasil, eis o Blog que meu camarada Sérgio Fleury fez sobre o JB do bão. Clique aqui.

José Trajano chora ao falar do JB: "Aquilo que era o JB virou um reles site na internet"



Sérgio Fleury, grande amigo e um dos melhores repórteres da história do JB, mandou o link. Emocionante. Clique aqui.

JB. O último suspiro

Embora esse JB do Tanuri nunca tenha sido o verdadeiro JB, fiz questão de procurar (como foi difícil encontrar) e comprar o último exemplar daquele que já foi o maior Jornal do Brasil, referência da minha juventude.

O JB agora é apenas um post no meu Blog. Mas como doi*.

* Inspirado em Drummond.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Joaquim Ferreira dos Santos e a última página do JB

Beleza de artigo. Nunca trabalhei no JB, mas sempre fui fã do JB.

Para ler é só passar a mãozinha. Deu hoje no Globo.

domingo, 29 de agosto de 2010

sábado, 28 de agosto de 2010

US Today vai virar JB

Pra bom entendedor, meia notícia basta.

Deu hoje na Folha.

JR Duran lança revista para bacanas

Pô, Duran, leia este post e mande um exemplar para mim. Pelo menos para eu ler essa matéria sobre bundas.

Deu hoje no Globo.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Dia do Afeto: aos jornalistas e leitores do JB

Meu querido ex-JB Sérgio Fleury pediu para avisar:

"Nesta próxima terça-feira, dia 31 de agosto, o nosso querido JORNAL DO BRASIL vai circular pela última vezem versão impressa e somente para os seus atuais assinantes.
 
E já a partir do dia seguinte o centenário JB existiráAPENAS online para quem quiser pagar R$ 9,90 por mês.Ao contrário do que o jornal vem divulgando, isto não será nenhum pioneirismo ou revolução tecnológica, mas o resultado de uma longa agonia que já dura anos e tem uma triste e lamentável história.
 
Você, jornalista ou leitor que lamenta essa "morte anunciada", participe do DIA DO AFETO ao JB neste mesmo dia 31 de agosto, ao meio-dia, em frente ao bar Amarelinho, na Cinelândia - Centro. Será um simples encontro entre amigos, a maneira carinhosa de marcarmos a data como uma despedida!
EM TEMPO: passe esta informação aos que consideram o JORNAL DO BRASIL um marco no jornalismo brasileiro".

É nisso que dá não prestar atenção na revisão - 2

Que mané "olho" de peroba!

Deu hoje no globoesporte.com

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

As memórias do JB no livro de Alfredo Herkenhoff. Um trecho em primeira mão aqui no Blog


Para vocês terem uma ideia de como está bom esse livro sobre o JB do Alfredo Herkenhoff (ver post abaixo com a capa do livro), que será lançado na próxima terça-feira (31 de agosto), no restaurante Nova Capela, na Rua Mem de Sá, no Rio, eis um dos capítulos contando uma história envolvendo um dos mais talentosos e queridos repórteres do JB, Bartolomeu Brito, o Bartô:


"Um jovem de 1m55 era contínuo do jornal À Noite em 1967. Passou a apurador da Gazeta de Notícias, Diário de Notícias e foi parar na Luta Democrática de Tenório Cavalcanti. Dois anos depois, o faro jornalístico e a coleção de furos o levariam ao Jornal do Brasil. Foi lá que o homem agigantou-se. Um dos episódios mais marcantes da carreira do novato foi a conversa telefônica que manteve com um dos sequestradores do embaixador americano Charles Burke Elbrick ocorrido no período mais macabro da ditadura militar. Tendo à frente do grupo o seu colega de jornal, Fernando Gabeira, o sequestro bem-sucedido, que permitiu a libertação de presos políticos, reservou uma participação ativa para Bartô. O baixinho, após falar com o negociador (o próprio Gabeira) sem identificá-lo foi a um bar em Santa Teresa buscar a carta onde estariam os nomes dos jovens combatentes que deveriam ser trocados pelo diplomata. Tudo certo? Tudo errado. O distraído Gabeira colocou a lista de nomes sobre a descarga do banheiro do boteco. Mais de dois metros de altura acima do vaso. Como fez Bartô para alcançá-la? Recorreu a um homem que estava no balcão. Mais tarde descobriria que o tal homem era um agente do Dops que investigava o sequestro. Para despistar, Bartô disse ao agente que a carta era de sua namorada que ameaçava cometer suicídio. O investigador engoliu.

Bartô passou 23 anos no JB. Descobriu o corpo de um alemão morto pelos caçadores de nazistas israelenses, deu sozinho a morte de 19 militares em uma explosão de quartel em Paracambi, atacou o jogo do bicho e transformou-se em um empírico estudioso da violência urbana. Acolhido pelo jornal O Dia depois de mais de 30 anos de profissão, Bartô sofreu um AVC e teve que se deparar com a cara dura da realidade que assiste ao jornalista comum, aquele que brilhou nas páginas, mas não ganhou o suficiente para acumular riqueza. Ajudado pelos fiéis amigos, aguarda em casa a recuperação. Mas avisa que vai voltar. Não há jornalista vivo no Brasil que desconheça a figura altiva de Bartolomeu Brito".

As Novas Mídias e o Design Industrial

Mais uma matéria sobre a importância das Novas Mídias. Deu hoje no Globo on-line. Quer saber mais? Clique aqui.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Blog de estagiários do Globo ganha prêmio

Quando vejo uma matéria como essa publicada hoje no "Por dentro do Globo", vejo que estou no caminho certo ao produzir blogs com meus alunos há mais de 4 anos.

Para ler é só passar a mãozinha.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Livro sobre Memórias do JB será lançado no Rio

Eis aqui, em primeira mão, a capa do livro "Memórias de um Secretário - Pautas e fontes", do meu camarada  Alfredo Herkenhoff, que será lançado em breve no Rio.


Na contracapa uma foto histórica. Mostra uma verdadeira seleção de jornalistas, em 1962, na antiga redação da Avenida Rio Branco 110,  em plena reunião de pauta. Em primeiro plano, Oldemário Touguinhó ao lado de Armando Nogueira. A partir da esquerda: Dácio Malandro (Dácio de Almeida), Araújo Neto, Carlos Lemos, João Máximo, Alberto Ferreira, Carlos Kerr, Sandro Moreira e José Inácio Werneck. O grupo discutia cobertura da  Copa do Chile.


designer gráfico é da Talento & Expressão e a a criação da Juliana Santiago e do também meu camarada botafoguense Fábio Lau.

Antologia do colunismo: vovô viu a fila

Deu na coluna do Ancelmo.

domingo, 22 de agosto de 2010

Analista de Mídia Social, um bom mercado para profissionais de Comunicação


Na semana passada, como faço em todos os inícios de semestres, passei um trabalho para os meus alunos sobre Mídias Sociais. Como eles se relacionam com essas mídias? Hoje, domingo, 22 de agosto, a Folha de S. Paulo publicou uma matéria sobre os analistas de mídias sociais.

Vale a pena ler. É só passar a mãozinha.

Quer saber mais sobre as Mídias Sociais, veja o vídeo acima e clique aqui.

Mostrou a "perereca" e foi chamada de "jornalismo tiririca"

Suzana Singer, ombudsman da Folha, meteu o pau hoje na Buceta; digo, na Folha por ter dado destaque para a Buceta.

Com todo o respeito aos meus milhões de leitores, claro. Raramente escrevo "palavrões" aqui no Blog.

sábado, 21 de agosto de 2010

Como se preparar para trabalhar em jornalismo

Interessante. Já encomendei o meu.

Deu hoje na Folha. Ana Estela também é autora do "Jornalismno diário", bom livro que li ano passado.

Para os pessimistas que acham que os jornais vão acabar

Deu hoje no Globo.

Que belo texto!

Belo texto do meu ex-aluno Sérgio Pugliese publicado no Globo de hoje. Para ler é só comprar o jornal ou acessar o site se for assinante.

Nada se cria, tudo se copia

E não é que o Meia Hora repetiu a manchete do "Dado em casa"! Mas concordo com o editor: não tinha como deixar de chutar essa bola quicando.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Ajudem o PC a virar um Hemingway tupiniquim

Amigos e amigas: entrei nesse tal de prêmio Blog Books. Inscrevi meu blog de crônicas. Se alguém quiser me dar uma força e votar, clique aqui.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Esses incríveis assessores e seus releases "maravilhosos"

Deu hoje na coluna do Xexéo, no Globo.

É dura a vida de assessor!

Para ler é só passar a mãozinha.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Bobeou, dançou

Jornalistas não podem errar. A pressa passa, a merda fica, e alguém registra.

Pesquei lá no "Coleguinhas" do Ivson. Quer visitar o "Porra G1", clique aqui.

Que bela capa do Extra!

Não sou tricolor, embora vá torcer para o Flu ser vice do Botafogo no Brasileirão, mas admiro uma boa sacada de capa. Simples, mas interessante. Parece que Washington está saltando da página. É sobre isso que falo, meus alunos de Secretaria Gráfica. O editor e o diagramador souberam explorar a bela foto que tinham para editar.

domingo, 15 de agosto de 2010

O Funk dos Intelectuais


Quem mandou o link foi meu camarada PV, que é inteligente, lê pra caramba, mas não é metido a "intelectual".

Arianna Huffington, a mulher que reinventou o Jornalismo on-line

Não deixe de ler no Globo de hoje. Matéria de página inteira. Reproduzo uma parte aqui.

sábado, 14 de agosto de 2010

O novo velho Jornalismo 3

Nada se cria, tudo se copia, quase tudo se recicla. É quase a antiga "tese" do Cinema Novo do "uma câmera na mão, uma ideia na cabeça". Vale a pena ver esse belo trabalho da repórter Ludmila Curi, no site do Globo. Clique aqui.

O novo velho Jornalismo 2

Deu hoje no Globo.

O novo velho Jornalismo

Deu hoje no Globo.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Blogueiros se reúnem em São Paulo

Pesquei no "Jornalistas & Cia".

Tostão mete pau na mídia esportiva

Deu hoje na Folha de S. Paulo. Para ler é só passar a mãozinha.

Jornalista e candidato brigam em programa de tv


Caramba! E eu que pensava que não ia viver o suficiente para ver esse tipo de coisa. Quem mandou o link foi meu amigo Marcelo Bório.

O repórter que trabalha onde as pessoas se divertem

Que as feministas me perdoem, mas não resisto ao jogo de palavras. É ou não é um dos maiores empregos do mundo? E saibam que o editor do caderno, meu ex-aluno e camarada Jason Vogel, foi aluno da Facha.

Deu hoje no "Por dentro do Globo".

Esses incríveis assessores e seus releases "maravilhosos"

Deu hoje na coluna do Xexéo. Mas nem sempre a culpa é dos assessores. O que tem de cliente mala!

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Congresso Brasileiro de Jornais vai debater democracia e jornalismo na era digital. Ah se eu tivesse dinheiro para me inscrever!

Sei que é coisa para patrões e não para um simples plebeu. Mas achei o tema interessante. Se você tem dinheiro e tempo, recomendo dar uma olhadinha no site. Clique aqui.
Um resumo:

Bem-vindo ao site de inscrições para o 8º Congresso Brasileiro de Jornais! Este ano o CBJ será no Windsor Barra Hotel, no Rio de Janeiro, nos dias 19 e 20 de agosto. A ANJ escolheu "Jornalismo e Democracia na Era Digital" como tema geral do evento.
A internet e as mídias digitais representam uma grande oportunidade para a indústria jornalística, mas também colocam em discussão o futuro do jornalismo de qualidade, fundamental nas democracias. O bom jornalismo, que difunde as informações de credibilidade e as opiniões que os cidadãos necessitam para fazer suas escolhas, resulta de investimentos e deve ser adequadamente remunerado. Como continuar a fazer esse jornalismo que tanto contribui para a democracia num ambiente de crescente circulação gratuita de informações?
Grandes nomes da indústria jornalística mundial estarão no CBJ para debater essas e outras questões. Robert Thomson, Editor do The Wall Street Journal, jornal-referência na venda de conteúdo pago pela internet, abrirá o evento. Temas como dispositivos móveis de leitura, direitos autorais na internet, publicidade no jornal do futuro e as mais modernas tecnologias do setor deverão atrair cerca de 700 profissionais do mercado. Junte-se a eles! O evento deverá ser encerrado pelos três principais candidatos a presidente da República: Dilma Roussef, José Serra e Marina Silva.

Novo livro sobre Mídia e Educação

Acabei de receber release da Editora Contexto. Parece interessante. A editora não manda livro para mim, mas eu divulgo quando acho interessante. A Contexto publica bons livros na área de Jornalismo e Comunicação. Comprei quase todos.

Uma bela sacada de marketing!


Clique aqui.

Quem mandou o link foi meu amigo PV, sempre ligado nas novidades.

Google diz que mundo tem 130 milhões de livros

Deu hoje na "Ilustrada" da Folha.

Mundo tem 130 mi de livros, diz Google
Pesquisa calculou apenas obras impressas e encadernadas e excluiu diferentes versões de um mesmo volume

Relatórios, documentos de governo e mapas foram descartados; pesquisa relativizou base de dados do ISBN 


DE SÃO PAULO
Uma pesquisa realizada pelo Google na semana passada divulgou que há 129.864.880 de livros no mundo. A pesquisa teve como base o Google Books, projeto de digitalização de livros da empresa.
Para chegar ao número, o Google coletou informações com mais de 150 fontes do mundo, incluindo bibliotecas, livrarias, catálogos coletivos nacionais e provedores comerciais.
O primeiro resultado desta triagem apontou a existência de quase 600 milhões de volumes no mundo.
A segunda etapa da contagem tentou identificar as várias edições de um mesmo livro ou então obras que são lançadas por editoras diferentes, com nomes distintos.
Segundo a equipe da pesquisa, o livro "Programando em Perl, 3ª edição", por exemplo, tem 96 registros diferentes em 46 fornecedores. Outro caso é "At the Mountains of Madness and Other Tales of Terror", de H.P. Lovecraft, lançado nos EUA por duas editoras diferentes.
Após a nova apuração, a quantidade caiu para 210 milhões de obras diferentes no mundo. Houve então uma nova avaliação, que excluiu textos impressos como relatórios, transcrição de gravações, mapas e outras publicações que não poderiam ser classificadas como livro.
O Google calculou, por fim, 146 milhões de exemplares impressos e encadernados. A última etapa da pesquisa excluiu documentos governamentais e folhetins e artigos autônomos que, na verdade, foram idealizados como um volume único.
Chegou-se ao número de 129.864.880 de livros diferentes no mundo. Os dados referem-se, porém, apenas até o último domingo.
Segundo o Google, o ISBN, sistema internacional padronizado que identifica numericamente os livros segundo o título, o autor, o país e a editora, foi apenas parcialmente considerado pela pesquisa, porque só passou a ser amplamente adotado no mundo no início dos anos 1970.

Jovem de 14 anos lê 300 páginas em uma hora

Deu hoje na "Ilustrada" da Folha.

Caramba! Quem me dera ter essa capacidade.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

piauí no Estadão


Sou fã da revista piauí e coleciono desde o primeiro número (não consegui o número 0). Soube que o site da revista foi reformulado e está agora no Estadão. Clique aqui. Também sou fã de pinguins e do pinguim da piauí. O vídeo que ilustra este post feito por alunos de publicidade pesquei lá.

Placar também em jornal. Mas só vai circular em São Paulo

Pesquei no Meio & Mensagem.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Os perigos dos programas ao vivo


Deu no CQC. Já está na rede.

Jornais para jovens fazem sucesso na França

Muito interessante esta matéria que a Folha publicou hoje no caderno "Mercado". Mais de meia página. Escaneei o box. É só passar a mãozinha. Se quiser ler a matéria toda, compre a Folha ou acesse na internet.

Rádio em Revista vem aí

Pesquei lá no twitter do AdNews.

Vem aí, Rádio em Revista!

03/08/10

A Escola de Rádio - um dos mais importantes centros formadores de profissionais de rádio - está em festa! E para comemorar o sucesso, o grupo dirigido pelo radialista e professor Ruy Jobim lançará, agora em agosto, o primeiro exemplar da Rádio em Revista (realizada em parceria com a Natureza Produções), que tem por objetivo noticiar tudo o que acontece no mundo do rádio, a segunda mídia de maior alcance no Brasil.
Com tiragem inicial de 5 mil exemplares - que serão distribuidos gratuitamente para as emissoras de rádio e TV do Rio de Janeiro, além das faculdades de comunicação, centros culturais e agências de propaganda da cidade. A publicação também estará disponível em seu site, www.radioemrevista.com.br, ampliando, naturalmente, seu raio de ação e atingindo, com isso, um público qualificado e formador de opinião.
A fim de a Rádio em Revista terá um conteúdo para lá de amplo: entrevistas com os nomes mais importantes dos bastidores do rádio (Por Trás do Microfone); entrevistas com personalidades que já não fazem mais parte do dial (Por Onde Anda?); as novidades de produção e transmissão (Tecnologia) e as notícias do meio (Microfone Aberto), além de crônicas divertidíssimas - escritas pelo jornalista e humorista Maurício Menezes (Coluna Maurício Menezes) - e fotos das emissoras favoritas do público (Rádio Mural). 

Mídia social não é para amador bobo

Quanta babaquice! Quanta perda de tempo! O que faz com que um bando de homens sem camisa e sem ter o que fazer fique horas e horas diante de uma tela de computador falando e fazendo besteira?

Que tal um livro?

Argeu Afonso, um Mestre

Que satisfação ver a foto de Argeu Afonso, um dos meus mestres no Jornalismo, na coluna "Por dentro do Globo". Argeu é o tipo de profissional bom de trabalhar junto. Uma de suas maiores qualidades é a SEGURANÇA. A pior coisa que existe é trabalhar com profissional inseguro, com medo de tomar decisões e que acha que "subordinado" é concorrente em potencial.

Obrigado, Argeu. Tricolor histórico.

Aliás, falar em futebol, Argeu é autor de uma "máxima" que ouvi dele próprio no tempo em que o Framengo tinha Zico, Adílio e cia e chegou a ganhar uma Copa Toyota contra um time de ingleses bêbados em Tóquio: "Não adianta torcer contra, enquanto esse time tiver Zico, Andrade, Adílio, Júnior, Leandro e cia".

Síndrome de Bartolomeu Guimarães*: o telefone está piscando


E esse vídeo da Lúcia Hipólito que está rolando na rede? "Telefone piscando, Lolito?".

* Bartolomeu Guimarães?! O mais antigos vão entender. "A vaca, o gancho". Os mais novos devem pesquisar pra saber.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Para quem gosta da Quatro Rodas

Cesar Costa mandou o link com todas as edições da revista Quatro Rodas. Se gostar, clique aqui.

domingo, 1 de agosto de 2010

Um texto e duas leituras diferentes

Vale a pena ler e refletir. Muito interessante. Bom debate para sala de aula.

Deu hoje na coluna da Suzana Singer, ombudsman da Folha.

Elio Gaspari e o custo dos livros eletrônicos

Me amarro nesse assunto. Para ler é só passar a mãozinha.